O Trânsito das Questões da Agenda Pública para a Governamental: a institucionalização da segurança alimentar nas políticas públicas

Joana Tereza Vaz de Mouras, Milenna Nicoletti

Resumo


Resumo: este artigo discute a entrada da Segurança Alimentar na agenda governamental a partir de uma confluência das demandas dos movimentos sociais e entidades da sociedade civil, combinada a uma prerrogativa governamental, abordando o conceito de estruturas de oportunidades políticas e constrangimentos e oportunidades estabelecidos pela configuração político-institucional compreendidos pela perspectiva neoinstitucionalista. Neste ínterim, o artigo apresenta um resgate histórico da consolidação da Segurança Alimentar no Brasil, objetivando explorar a evolução paulatina conferida à temática impulsionada pelos movimentos sociais e pelas instituições como propiciadoras de oportunidades políticas. Por conseguinte, são criadas inovadoras estruturas decisórias mais descentralizadas e flexíveis, a exemplo dos conselhos e das conferências como importantes mecanismos de integração entre diferentes interesses, contribuindo, dessa forma, para que a pauta da segurança alimentar tenha se expandido e ocupado um importante espaço nas agendas políticas culminando em um conjunto de ações institucionais idealizadas e projetadas mediante diversas políticas de combate à insegurança alimentar.
Palavras-chave: Segurança alimentar. Agenda governamental. Oportunidades políticas. Instituições. Políticas públicas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/baru.v2i2.5271

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


BARU | Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos | Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás | e-ISSN 2448-0460 |  Qualis B4