TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PARA PENSAR A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES

Helder Neres Santos, Lúcia Gracia Ferreira

Resumo


O foco deste estudo foi analisar a formação docente através do trabalho de professores da educação infantil. Este foi realizado a partir de uma pesquisa qualitativa e da coleta de dados por meio de questionário, aplicado para professoras da Educação Infantil de duas escolas públicas. Com os resultados evidenciamos que a formação adquirida com a prática tem um valor estimável, pois no dia a dia as professoras enfrentam problemas que lhes possibilitam crescer profissionalmente. Na resolução de cada situação, elas buscam maneiras de evoluir, de forma individualizada, visando atender a cada necessidade que surge. Esta evolução se dá unicamente com a prática (situações reais e inimagináveis), favorecendo a consolidação do trabalho docente, não excluindo a importância de uma formação acadêmica adequada. Contudo, a formação é necessária e tomou uma posição importante nessa perspectiva, como sendo aquela que pode e deve contribuir na/para o ensino nas classes de atendimento as crianças.

Palavras-chave


Trabalho docente; Formação docente; Infância; Educação; Professor.

Texto completo:

PDF

Referências


ARIÈS. Philippe. História Social da Criança e da Família. Trad. Dora Flaksman. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

ARROYO, Miguel. Condição docente, trabalho e formação. In: SOUZA, João Valdir Alves de (org.). Formação de professores para a Educação Básica: dez anos da LDB. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 191-209.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CAMARGO, Ricardo Leite. Princípios para o uso de jogos na intervenção psicopedagógica: um estudo realizado com crianças do segundo ano do ensino fundamental (1ª fase do ciclo básico). In: OLIVEIRA, M. L. (org.). (Im)pertinências da educação: o trabalho educativo em pesquisa [online]. São Paulo: Editora UNESP, 2009. p. 121-162.

CAMPOS, Maria Malta. Educar e cuidar: questões sobre o perfil do profissional de educação infantil. In: MEC/SEF/DPEF/COEDI. (org.). Por uma política de formação do profissional de educação infantil. Brasília: MEC/SEF/DPEF/COEDI, 1994. p. 32-42.

FERREIRA, Lúcia Gracia. Professoras da zona rural: formação, identidade, saberes e práticas. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, 2010.

FREIRE, Paulo. Professora sim tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D’Água, 1997.

GATTI, Bernardete A. Formação inicial de professores para a educação básica: pesquisas e políticas educacionais. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 57, p. 24-54, jan./abr. 2014.

GUTIERRA, Beatriz Cauduro Cruz; LIMA, Glaucineia Gomes de. Infância e Adolescência: o tempo em questão. Ano 5 Col. LEPSI IP/FE-USP 2004.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NOVOA, Antônio (org.). Vida de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2007. p. 31-61.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

IMBERNÓN, Francisco. Formação Permanente do professorado: novas tendências. Tradução de Sandra Trabucco Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2009.

LIMA, Sílvia Elaine Almeida. A formação do professor da educação infantil e o trabalho pedagógico com crianças de 0 a 5 anos de idade. Pergaminho, n. 5, Ano 5, p. 1-15, dez. 2014.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Ludicidade e desenvolvimento humano. In: D’ÁVILA, Cristina (org.). Educação e Ludicidade: ensaios 04. Gepel, 2007. p. 11-19.

LÜDKE, Menga; BOING, Luiz Alberto. O trabalho docente nas páginas de Educação e Sociedade em seus (quase) 100 números. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100 Especial, p. 1179-1201, out./2007.

MACHADO, Priscila Rocha. Pedagogia de projetos: de fio a pavio. Monografia (Graduação) - Curso de Pedagogia: Faculdade de Agudos – FAAG, São Paulo, 2010.

NÓVOA, Antonio. Formação de Professores e Trabalho Pedagógico. Lisboa: Educa, 2002.

SILVA, Marilda da. Complexidade da formação de professores: saberes teóricos e saberes práticos. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Trad. de João Batista Kreuch. 6. ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

TEIXEIRA, Geovana Ferreira Melo. Docência: uma construção a partir de múltiplos condicionantes. Boletim Técnico de SENAC: a revista da educação profissional, Rio de Janeiro, v. 35, n. 1, p. 29-37, jan./abr. 2009.

ZEICHNER, Kenneth M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v29i1.6728

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.