POLÍTICAS SOCIAIS E EDUCACIONAIS NA VIRADA DO SÉCULO XXI: ESTADO, NEOLIBERALISMO E EDUCAÇÃO

Renato Barros de Almeida, Rodrigo Fideles Fernandes Mohn, Rosiris Pereira de Souza

Resumo


Este artigo busca explicitar e compreender a influência e a articulação, no que tange à concepção de “estado”, existente nos princípios e valores entre o “neoliberalismo” e a “educação”. Para isso, foi realizada uma pesquisa bibliográfica com o objetivo de analisar o campo das políticas, mais diretamente as políticas sociais e educacionais. Enquanto recorte temporal, nos debruçamos na virada para o século XXI.

Palavras-chave


Políticas Sociais e Educacionais; Estado; Neoliberalismo; Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, H.; SILVA, J. B. Classes e lutas de classes: novos questionamentos. São Paulo: Annablume, 2015.

BARBOSA, I. G. A educação infantil: perspectiva histórica, lutas e necessidades. Goiânia: FE/UFG, 1999.

BARBOSA, I. G. O Método dialético na pesquisa em educação da infância: desafios e possibilidades para a Psicologia e a Educação. In: MONTEIRO, F. M. de A.; MULLER, M. L. R. (orgs.). Educação como espaço da cultura. Cuiabá: UFMT, v. II, p. 227-228, 2006.

BOBBIO, N. Liberalismo e democracia. São Paulo: Brasiliense, 1993.

BRZEZINSKI, I. Política de formação de professores: a formação do professor “primário” na lei nº 9.394/1996 e em seus desdobramentos. In: BRZEZINSKI, I. (org.). LDB interpretada: diversos olhares se entrecruzam. São Paulo: Cortez, 2000.

CORRÊA, V. Globalização e neoliberalismo: o que isso tem a ver com você, professor? Rio de Janeiro: Quartet, 2000.

COUTINHO, C. N. Marxismo e política: a dualidade de poderes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 1994.

CUNHA, L. A. R. da. Educação e desenvolvimento social no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.

DOURADO, L. F. A reforma do estado e as políticas de formação de professores nos anos 1990. In: DOURADO, L. F.; PARO, V. H. (orgs.). Políticas públicas & educação básica. São Paulo: Xamã, 2001. p. 49-57.

DRAIBE, S. M. A política social no período FHC e o sistema de proteção social. Tempo Social, São Paulo, v. 15, n. 2, 2003.

FRIGOTTO, G. (org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. Rio de Janeiro: Vozes, 1998.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere: Maquiavel – notas sobre o Estado e a Política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. p. 12-109. 3 v.

LAURELL, A. C. Avançando em direção ao passado: a política social do neoliberalismo. In: LAURELL, A. C. (org.). Estado e políticas sociais no neoliberalismo. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1997. p. 151-178.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Londrina: Planta, 2004.

MARRACH, S. A. Neoliberalismo e Educação. In: GUIRALDELLI JUNIOR, P. (org.). Infância, Educação e Neoliberalismo. São Paulo: Cortez, p. 42-56, 1996.

MARX, K.; ENGELS, F. A Ideologia Alemã. 7. ed. São Paulo: Hucitec, 1989.

MARX, K.; ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Cortez, 1998.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2002.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

MONTAÑO, C.; DURIGUETTO, M. L. Estado, Classe e Movimento Social. São Paulo: Cortez, 2010.

NASCIMENTO, A.; SILVA, A. F.; ALGEBAILE, M. E. B. Estado, mercado e trabalho: neoliberalismo e políticas sociais. In: NEVES, L. M. W. (org.). O empresariamento da educação: novos contornos do ensino superior no Brasil dos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2002. p. 85-104.

NEVES, L. M. W. (org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar para o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

RODRIGUEZ, V. Financiamento da educação e políticas públicas: o FUNDEF e a política de descentralização. Cadernos Cedes, Campinas, v. 21, n. 55, nov. 2009.

SANTOS, T. dos. Conceito de Classes Sociais. Petrópolis: Vozes, 1982.

TORRES, R. M. Melhorar a qualidade da educação básica? As estratégias do Banco Mundial. In: TOMMASI, L. de; WARDE, J. M.; HADDAD, S. (orgs.). O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1998.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v29i1.7150

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.