Literatura machadiana: um dos patrimônios culturais do Brasil e elemento de memória da população negra oitocentista

Murilo Chaves Vilarinho

Resumo


O texto propõe-se, de modo geral, a pensar a literatura como patrimônio cultural de um povo e elemento de memória, mecanismo capaz de revelar aspectos peculiares de contextos pretéritos, conforme a concepção de Ricoeur. Em termos específicos, essa reflexão minudencia os escritos do romancista carioca Machado de Assis, mulato, neto de negros, homem de seu tempo e de seu país, cânone da cultura literária brasileira. Desse modo, é, por meio de seus escritos, que serão capturados alguns entendimentos que caracterizam a trajetória (quotidiano) da população negra. Machado de Assis retratou, de modo profundo, a alma humana, inclusive a do negro, indivíduo que ajudou a conformar a sociedade brasileira em suas variadas vertentes

Palavras-chave


Literatura. Machado de Assis. Patrimônio Cultural. Negro. Memória.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Machado. Memórias Póstumas de Brás Cubas. In: Obras Completas de Machado de Assis, v. 1. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994a. Disponível em: . Acesso em: 13 de setembro 2016.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

CANDIDO, Antonio. “A literatura e a formação do homem”. Ciência e Cultura. 24 (9): 803-809, set, 1972.

________________. Literatura e Sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006.

CERTEAU, M. A operação historiográfica. In:---------------. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis: historiador. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

DANTAS, Ivo. Constituição federal anotada. 2.ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2002. 634 p, Art. 216.

FERNANDES, Florestan. A Integração do Negro na Sociedade de Classes. Vol2. São Paulo: Ática, 1965.

GONÇALVEZ, José R. O patrimônio como categoria de pensamento. ABREU, Regina e CHAGAS, Mario (orgs.) Memória e patrimônio: ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro, DP&A, 2003.

PEREIRA, Lúcia Miguel. História da Literatura Brasileira volume XXII - Prosa de Ficção (de 1870 a 1920). São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1973.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. Tomo III. Trad. Roberto Leal Ferreira. Campinas: Papirus, 1997.

________________. A memória, a história, o esquecimento. Tradução: Alain François. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2007.

SCHWARZ, Robert. Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis. 4. ed. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2000.

ROMERO, Sílvio. História da literatura brasileira; contribuições e estudos gerais para o exato conhecimento da literatura brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1953.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v9i2.5037

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis B3